Museu de Antropologia do Vale do Paraíba – MAV

Localizado no antigo Solar Gomes Leitão, inaugurado em 1857 para ser a casa da cidade. Ali o cafeicultor, João da Costa Gomes realizava seus negócios, ele era um dos homens mais ricos da região. Com sua morte em 26 de abril de 1979, sua família decidiu se mudar para Sorocaba, e em 1895, o solar foi vendido a Fazenda do Estado de São Paulo. Após sua venda, o prédio foi adaptado para sediar o grupo escolar Coronel Carlos Porto, que funcionou até 08/12/1980, quando foi entregue a Prefeitura Municipal para se tornar o Museu de Antropologia do Vale do Paraíba, por iniciativa do prefeito Benedicto Sérgio Lencioni. Depois disso, após 12 anos em obras de restauro, o MAV finalmente foi aberto ao público, em 24/09/1992.

Entrada

Acervo do Museu de Antropologia

Atualmente o museu conta com um acervo com um pouco menos 800 peças, em sua grande maioria são artigos religiosos. Além disso é possível contemplar artes plásticas, como a retratação do Barão  de Santa Branca, de Almeida Júnior, de 1888; da existem também peças de mobiliário do antigo Grupo Escolar Coronel Carlos Porto e uma grande coleção de arte naif (*), com obras de várias cidades do Vale do Paraíba, e diversos presépios: cerâmica, crochê, metal, palha e etc.

Naif é um termo francês que significa ingênuo ou inocente; portanto, a “arte naïf” é todo produto artístico de natureza pueril que demonstra uma criatividade autêntica baseada na simplificação de elementos decorativos a níveis brutos, espontâneos, puros, coloridos e caloroso.

No MAV existe o projeto “Construção de identidade regional no Vale do Paraíba”, projeto de grande valor cultural que já passou por outras cidades do Vale e outras regiões do Estado. Este foi entregue pelos artistas Paulo Pacini e Célia Barros, e expõe a abordagem de três matrizes éticas formadoras da nossa população: A primeira “Nhenhenhém – indígenas do Vale”, seguida por “Navegar é preciso – somos todos portugueses” e “A cor que a ginga tem – uma nova maneira de ser afro”. As colônias imigrantes tem grande influência em nossa cidade e da formação jacareiense, com isso o MAV deu início ao processo de registro de três delas como Patrimônio Cultural de Jacareí: os japoneses – por sua forte contribuição na agricultura; os árabes – no comércio e indústria; e os italianos – nos pequenos ofícios como alfaiate, chapeleiro, sapateiro e construção civil entre outros.

Programação do Museu de Antropologia

Buscando reviver as histórias e causos da cidade, o museu iniciou em agosto de 2009 “Uma noite no Museu”, uma programação realizada nas sextas-feiras de lua cheia, onde vários contadores contam causos e histórias que estavam caindo no esquecimento, atiçando a curiosidade e botando medo nos ouvintes, e assim animar as rodas de amigos e reuniões familiares. Além disso, a  programação do MAV é bem eclética, valoriza a Cultura Popular, realiza exposições e ainda abre espaço para concertos de música erudita.

Salão

Portanto, toda essa viagem a cultura e conhecimento pode ser visitada de Segunda a Sexta das 09h00 às 16h00 e aos Sábados das 10h00 às 16h00, na Rua XV de Novembro, 143 – Centro – Jacareí / SP.
Contato:  (12) 3952-5999

Fotos: André Júnior
Pesquisa: Lohana Garcia

COMTUR Jacareí © 2018 | www.comturjacarei.com.br

Desenvolvido por: GDX Marketing Digital